Contra crise, empresas buscam profissionais qualificados

Home / Artigos / Contra crise, empresas buscam profissionais qualificados

Contra crise, empresas buscam profissionais qualificados

Apesar da estagnação da economia, o mercado de trabalho continua interessante para profissionais qualificados e com experiência. É deles, afinal, que as empresas precisam para superar dificuldades. Segundo as recrutadoras Michael Page e Hays, isso acontece principalmente nas áreas de indústria e tecnologia.

Para Patrícia Tourinho, gerente da Região Sul da Michael Page, enquanto o período entre 2011 e 2014 foi um momento de expansão e novas contratações, 2014 foi um momento de substituições. “Como a indústria teve um ano desafiador, existe uma corrida para não se abater com as baixas margens de lucro. As empresas querem um profissional forte e adequado para esse momento”, explica Patrícia.

Outra característica importante procurada em profissionais em momentos de crise é a versatilidade, já que eventualmente o funcionário terá que acumular funções para aumentar a produtividade da empresa. Por isso, pode ser importante mencionar habilidades em currículos e entrevistas.


Troca de emprego

Mesmo que a crise gere um receio na hora de trocar de emprego, esse pode ser um momento bom para fazer isso. “A demanda existe, principalmente em áreas de engenharia e tecnologia, fortes na Região Sul. Mas a mudança depende muito da motivação do profissional”, explica Rodrigo Soares, diretor da Hays.

Quem teve coragem para mudar foi Mario Lenhart. Formado em Administração, com pós-grauduação, MBA e inglês fluente, ele começou a buscar uma vaga depois de cinco anos trabalhando em uma empresa farmacêutica no interior de Minas Gerais. Os principais motivos foram pessoais: queria se mudar para uma cidade com mais qualidade de vida para a família, ter um ganho financeiro maior e trabalhar em um setor que permitisse crescimento.

Foram três meses de pesquisa até ele se tornar diretor financeiro do Cinesystem, rede de cinema de Maringá. “Para não correr muitos riscos com a mudança, eu pesquisei o histórico da empresa, o mercado em que a atua e o quão sólida ela é. Foi isso que me deu segurança para trocar de emprego nesse momento”, explica Lenhart, que começou em seu cargo em maio.

 

Fonte: Gisele Eberspächer, especial para a Gazeta do Povo (Texto publicado na edição impressa de 30 de novembro de 2014)

Notícias Recomendadas

Deixe um Comentário

workersmateria-uol